Último Minister

by 00:51:00 2 comentários


Eu fumei o último Minister da primeira carteira. De Minister. O ministério das advertências adverte que fumar Minister não deixa nunca água parada para não criar bolha no mercado imobiliário. Água é vida, gira, mas não me enche o saco de água. D’água, só para usar uma aspinha. Que cu. Olha só, fella, eu fumei essa porra para poder dormir, mas aí me lembrei que curto cheirar meus dedos depois que fumo, tabagismo de bugio, e quando eu durmo não cheiro os meus dedos, por isso seria um puta desperdício dormir agora. Achei melhor botar meus dedos para balançar. É assim que um escritor dança. Escritor é tudo chato, se sóbrio. E os que não bebem quanto melhor se não escrevessem. Eu comprei esse Minister no dia que andei 500 km de cavalo combustão quatro tempos sozinho. Eu falo assim só porque não gosto da palavra moto. Loto. Boto. Eu escrevi um texto sobre essa viagem, muito melhor, que vou guardar para publicar em um livro que ninguém irá ler. Isso aqui é só abstração na distração de recuperar o meu sono. Minister é uma marca vagabunda de cigarro, que combina comigo. O penúltimo cigarro foi fumado ontem, em uma praça em Ana Rech, que deve ficar perto de um manicômio. Eu não sei onde fica o manicômio, mas sempre que se fala desse bairro, que deveria ser uma cidade, alguém fala do manicômio. Sempre temos que ser lembrados por uma ou duas coisas, abstração, iconografia, poucos e grandes símbolos rotulados, mais fácil, pois os outros nada me importam se o espelho do rosto não reflete a make linda do meu ego siliconado na hipérbole da punheta com os dedos do ostracismo na memória já apagada. Fodam-se. Fodam-se. Em francês, foudan'n-cê's. Queria deixar registrado que me agradaria tomar um café em silêncio com Rubem Fonseca, mas não agora. O sono chegou. Morra na interrupção e sem boa noite, pensa que eu sou tuas Fátimas Bernardes? Ontem, quando voltava para casa, uma menina com seus doze anos atravessou a rua sem olhar. Eu andava a 140. A vida muda em um segundo, mesmo quando o segundo não nos muda. Acho que eu queria dizer isso. Acho que eu preciso comprar outra carteira.

25.05.15
Tiago André Vargas


Tiago André Vargas

Developer

Pesadelo de camaleão é que tem só uma cor.

2 comentários:

  1. _______Sou fumante - MINISTER - minha inesquecível namorada, isto será tua eterna recordação... _____________________COROA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minister é uma marca vagabunda de cigarro, que combina comigo. Que eu Renato Cesar Vargas Martins, fumo e vou continuar fumando, até eu morrer; problema... MEU! (minister não fumo/porquê não tem mais)

      Excluir