Admiração incompreensível

by 16:01:00 0 comentários


O casal de meia idade resolve polir algo que simploriamente o marido chama de “lado cultural” visitando uma exposição de artes quando ambos param diante de um quadro negro com um círculo branco pintado em seu centro. O marido diz:
- Eu não gostei.
- Eu gostei. – Revida a mulher.
O marido pensa que ela poderia estar revidando pelo simples prazer de contrariá-lo, mas como eles tinham feito sexo na noite passada e ela estava simplesmente um doce, descartou a ideia. Indagou:
- Por que você gostou?
- Ele é subjetivo.
- É um círculo.
- Você não entende nada de arte.
- Não e mesmo assim, esse quadro não tem nada de mais.
Um olhar pairou sobre o ar. Um pensamento ríspido invadiu a mente do marido. Ele não poderia controlá-lo, arranjaria problemas com ele... Mas tinha que colocá-lo para fora:
- Você gosta dele pelo simples fato de não compreendê-lo. E como não compreende, julga que ele está acima da tua capacidade intelectual. E para estar acima da tua capacidade intelectual deve ser uma obra prima, algo simplesmente genial. É o puro instinto de auto-preservação e auto-afirmação emergindo.
A mulher o olhou sem dizer uma palavra.
- Poesia, por exemplo. Se algo rimar e você compreender é simplório. Se você precisar recorrer a um dicionário a cada três palavras e nada fizer sentido, é magnífico. Vamos parar com esse modernismo decorrente de uma verdadeira doença intelectualóide onde precisamos fingir que algo é bom porque não compreendemos. Esta é uma merda de pintura. Parece a capa do filme O chamado, é ridículo!
A mulher continuava a lhe olhar sem dizer uma palavra.
- Ou então você conhece uma pessoa. E ela é neurocirurgiã. Pronto. Deve ser um gênio! Por quê? Pelo simples fato dela trabalhar com algo que você não conhece, não compreende. Novamente é uma afirmação para preservar a tua integridade intelectual. Mas ele apenas estudou outra coisa... Ele come batata frita entre os plantões e comenta sobre reality show com as enfermeiras... Ele não é o Messias!
O homem perdeu o fôlego e a mulher então disse:
- Você está certo. Agora vai fazer este teu discurso para a puta que te pariu.
- Por que falou assim comigo?
- Para preservar a minha integridade intelectual. Próximo quadro?

Autoria de Tiago André Vargas.
Postado em 01.05.2011
Escrito não se sabe quando, nem onde, tão pouco porquê.



Foto encontrada aqui.

Tiago André Vargas

Developer

Pesadelo de camaleão é que tem só uma cor.

0 comentários:

Postar um comentário