Resenha do Livro Mariposas no Útero - Evento Literatura Caxiense Recente

by 18:09:00 0 comentários



Resenha de Karina Catuzzo Rodrigues:



Sangue e amor


Uma faca. Um alvo. Um suspeito. Promessas, ciúmes e amores enlouquecedores. Um livro para fincar na cabeça. Um vício. Relato de muito suspense que marca a boa estréia de Tiago Vargas.


Mariposas no Útero é a obra de estréia do caxiense Tiago André Vargas. Um romance misterioso, aventureiro e emocionante. O envolvimento familiar, amor de pai para filho, paixões e loucuras fazem o leitor participar da história de forma intensa.

Já no começo da trama um assassinato misterioso faz com que o leitor fique imaginando quem poderia ter cometido a maldade “Com as mãos sobre o estômago o jovem caiu de joelhos e sua boca que antes irradiava aquele belo e jovial sorriso agora era berço de um pequeno filete de sangue…”

Vargas é minucioso, faz descrições detalhadas, e isso leva os leitores a se prenderem cada vez mais na historia. E o romance traz muitos personagens: Josh, Andréia, Débora, Mayara, Roberto, Afonso… Mariposas no Útero começa com um encanto por uma garçonete, passa por assassinatos, confusões, ameaças e quase “roemos” as unhas para descobrir qual o final deste enredo que hipnotiza.

O interessante é que, na leitura, o autor volta no tempo para entender a história dos personagens, da onde vieram, quem são, por que estão ali. No capítulo XV, por exemplo, Vargas interrompe o relato da vida de Josh e sua loucura por uma garçonete para contar as trajetórias de Afonso e Roberto, que também são personagens chave no desfecho do romance.

Mariposas no Útero pode ser considerado um livro de certa forma confuso, pois o enredo é misturado de propósito pelo autor. Assim, o leitor deve redobrar a atenção ao ler. “Fora queimado o plano divino, descrente o destino e restou apenas o acaso. E o acaso é um velho bêbado de revolver empunhado mirando nos teus rins, exigindo que uma música inexistente seja dançada.”.

Mariposas no Útero filtra a imaginação, encanta, amedronta. Usa um acontecimento do cotidiano, que pode acontecer com qualquer pessoa e desvenda mistérios… um leitor que vai a um bar e esbarra em uma garçonete e, no fim, descobre que ela é peça fundamental na sua vida. O suspense prende a atenção e, como se fosse um filme, carrega no suspense “Nenhum pintor mostra se quadro inacabado. Se você entende o processo, o resultado perde valor”.

Tiago André Vargas é natural de Caxias do Sul, do distrito de Vila Cristina. É autor do livro Mariposas no Útero, um romance que traz humor, banalidade e, não raras vezes, o amor. Foi premiado no concurso nacional Associação Nacional dos Escritores, ANE – 50 Anos, com o conto A Violinista e contemplado no 4º Prêmio Literário Sérgio Farina com o conto E assim se fez o mar.

Para Tiago, o importante não é poder escrever, e sim, querer escrever. É quando querer escrever não é uma escolha, é uma necessidade. É como amar alguém. Assim, as significativas aprendizagens acontecem somente durante a caminhada e toda escolha é certeira se feita com o coração.


Para o autor: “Todos os livros que eu li, pessoas que eu conheci, eu acredito que todo e nenhum detalhe da minha vida me colocaria um dia em frente de uma página em branco dizendo: Seja agora quem tu és. Desde então, eu tento ser.”.

Tiago André Vargas

Developer

Pesadelo de camaleão é que tem só uma cor.

0 comentários:

Postar um comentário