Nascidos

by 10:22:00 0 comentários



Mordi suas tetas
Depois aspirei
Cão que arfa é mais cão
Assoprei
A saliva álgida no halo nacarado
Era
Um copo de vidro esquecido na sacada

O médico imaginário do prazer sorria
Com escárnio
Olhava-me como um pai morto
Minha ação o torto legado

Esta ordem categórica
Foi uma vantagem
Que eu carreguei na boca
Para lutar contra o amor das mulheres de olhos profundos
O médico disse
Menos recônditos
Menos perigosos
São os olhos das tetas
Sou alquebrado
Por natureza
Incapaz de encarar os olhos da leveza
Mordia, aspirava e assoprava os olhos das tetas
Na inocência
Que passaria despercebido pela alma

Ventou forte entre meus lábios
Evitei as conhecidas janelas
Mas rasguei as cortinas do meio
Surpreso
Notei
Mordia, aspirava e assoprava seu peito
Aberto como um livro
Exposto como um copo esquecido na chuva
Outro caminho em mesmo destino
A água que dentro de si ficava
Era a alma

Sua alma sentiu frio
Está junto com a minha
Na sacada
Enroladas em um chambre vermelho
São filhotes
A minha parece não ter boca
A sua parece não ter olhos
Ninguém sabe o que serão quando crescerem

07.09.2015
Tiago André Vargas



Tiago André Vargas

Developer

Pesadelo de camaleão é que tem só uma cor.

0 comentários:

Postar um comentário