Dois momentos

by 16:59:00 2 comentários
Marina desceu a camisola pelo corpo.

Eu poderia ter tudo, eles me disseram. Ouro, diamantes, escravos de ébano, albino, do inferno.
Era só pousar meus olhos lentos como mariposas pela noite e as coisas aconteciam. Vinham para mim. Se não fosse o suficiente eu poderia ainda sorrir, abrir meus lábios o bastante para sua próstata se transformar em magma. E você vinha até mim.
Qual era o problema do nosso jogo? Não estávamos ambos ganhando? Eu trapaceei. Eu gostei de você, este foi meu erro.
Naquela noite eu decidi abrir meu coração, coloquei a camisola de minha mãe para te entregar meu amor e evidentemente, antes de fazermos eu diria aquelas três palavras que durante a história algum horrendo romancista as colocou em um pedestal tão alto quanto o céu e agora não me torno digna de dizê-las. Se bem que, se eu posso dizer, é porque eu posso sentir. E isso me deixa ainda mais assustada...

Eu te amo!

Quebrei teu rosto ao dizê-las.
Você deveria demorar um momento e depois dizer que me amava. O que dois momentos significavam? Que você ponderou se poderia conviver com essa mentira e gozar no meu peito.
Chega de paixões destrutivas.
Adeus porco.

Marina subiu a camisola pelo corpo.

Autoria de Tiago André Vargas
Foto encontrada aqui.

Tiago André Vargas

Developer

Pesadelo de camaleão é que tem só uma cor.

2 comentários:

  1. 43. "Contra-regra."
    Para Roberta (91)

    Novo, velho, vivo... de
    novo, eu vivo o olho,
    ninguém tem culpa,
    as paredes vermelhas,
    delas só ficaram as lembranças...
    Um meio, um fim
    lá na estrada, calma,
    calma, encontro
    – eu –
    atado ao passado,
    eu preciso sair deste labirinto.
    No escuro uma música,
    entardecer esperança,
    universo e sangue
    será que sei o que estou
    fazendo ou fiz?
    Sabe para que chorar,
    se você pode amar!











    44. "Um olho..."
    Para Rose e Lê e La Paiva

    Numa manhã
    me olhou e pela
    primeira vez,
    uma coisa nova
    veio à tona.
    Acordei por causa
    de um olho,
    que ainda existe
    olho vivo, destinado
    apenas a mim.
    Depois daquelas
    manhãs, outras
    finitas vieram,
    não as temi,
    senti que se o
    outro olho me
    olhasse a minha
    vida mudaria.
    Só que ele não
    olhou e eu
    continuei vivendo.

    ResponderExcluir
  2. De fato acertaste, Tiago.
    E eu não precisei de dois momentos pra gostar.

    ResponderExcluir