Fluxo de amor

by 21:56:00 4 comentários
Nessa vida, nesse frigir de ossos pelo tempo

No fundo do meu coração roxo lhe desejo
Que presencie ao menos um breve momento
O que é estar submerso na correnteza de um amor perfeito

O que são as bodas de ouro do casal desconhecido?
O que são os anos perdidos contando papéis coloridos?

O que é a vida fora do corpo?
O que é a vida dentro do olho?
O débil taxa o sábio de louco
Ao parar de fazer contas e olhar o todo

Aquele que sempre pulsa sem saber o porquê
Será capaz de encontrar ou fugir do quê?
De nada e nem precisa
Somos vítimas

Vítimas mesmo quando outro coração para de bater em nossas mãos
Vítimas mesmo quando nenhuma andorinha decide cruzar o verão
Vítimas do velho trem que partiu enquanto aguardávamos na estação
Vítimas dos amores, das dores, da falha regeneração. Todos são.

E eu que sempre pensei poeta nessa andança
Eu que sempre pensei vagabundo durante a mudança
Prepotente dentro da minha sábia ignorância
Eu perdido de amores pelo sorriso de uma humana

Sempre vi a mulher como refúgio para colocar minha fé
O único reduto digno de idealização, talvez absurda
E o que vejo agora são também defeitos, porém nada muda
Com dois toques e três beijos ela também me desnuda

E despido quem sou? O mesmo homem cheio de defeitos
Que goza, que muda, que tem medo
Que acha a vida larga demais para qualquer feito
E se sente estreito demais no meio do teu beijo

Um momento. Uma vida. Você homem de ponteiros pode medir algo?
Pois bem então, meça o quanto vale ao menos uma vez amar e ser amado
Não falo em querer ou merecer, falo em sentir de fato
Eu falo de morrer, um pelo outro em ambos os casos
Eu falo do gosto que nunca enjoa sem precisar ser amargo

Nada falo. Me calo perante você mulher
Num olhar mútuo de quem nada quer
Além da corriqueira companhia livre e vassala
Durante esta vida, que sem você, valeria nada


Autoria de Tiago André Vargas
Foto encontrada aqui.

Tiago André Vargas

Developer

Pesadelo de camaleão é que tem só uma cor.

4 comentários:

  1. BAITA TEXTO,

    sem sobra de duvida foi dedicada a alguem, e tu merece!!!

    Lindo Lindo Lind!

    bjo

    ResponderExcluir
  2. Oi Jordana, obrigado pelo comentário.

    Este texto foi escrito algum tempo atrás e não foi dedicado a alguém em específico, não costumo e nem gosto de dedicatórias, mas acho que todos sentiram-se assim alguma vez ou irão sentir, espero.

    Tudo de bom moça, se cuide. Fico feliz em saber que lê as minhas anedotas.

    ResponderExcluir
  3. Bom entra em contato se quiser, você é um dos sobreviventes como eu que acha que a Literatura pode mudar o Destino. E PODE MESMO.
    Abs.

    ResponderExcluir
  4. Felipe, fico muito feliz em saber que gostou dos meus textos, verdadeiramente. Um abraço e felicidades.

    ResponderExcluir